terça-feira, 30 de junho de 2009

*IDOSOS NO MÉDICO*


Um casal de idosos vai ao médico, que pergunta:
- O senhor tem alguma pergunta, algo que o
preocupa?
- Sim, doutor! Depois de fazer sexo com minha
mulher, sinto muito calor, já na segunda sinto
muito frio!
- O médico diz que nunca ouviu nada igual e
pergunta para a velhinha:
- Seu marido diz ter um problema um pouco
estranho. Ele disse que sente muito calor
depois de fazer sexo da primeira vez, e muito
frio depois da segunda. A senhora tem idéia
do motivo?
- Oh, aquele velho maluco! É porque a primeira
é em janeiro e a segunda, em junho!

"Eitor Schaeffer"

segunda-feira, 29 de junho de 2009

*DEPOIS DE TUDO*


Depois de tudo que aconteceu, vem a explicação:
"Quando em 1991, que o papai morreu, era missa
de sétimo dia, o Beto ía numa pescaria, e
queria que eu deixasse de ir à missa para
arrumar a bagagem dele, chantagiou através de
um bilhete que eu não o amava, senão teria
ficado para despedida. Na pescaria levava
bastante bebida alcoólica. Meus filhos
tomaram conhecimento desse bilhete, acharam
absurdo.

Pensava que nossa vida a dois havia controlado;
infelizmente, meu filho Marcos tinha razão, nada
tinha acabado entre ele e ela.
Em julho de 1994 ele saiu de casa novamente,
separamos pela segunda vez.
Quando ele partiu, me sentí abandonada, acreditei
no seu amor, me machucou, me traiu, brincou
com meus sentimentos, deixou meu coração
machucado.

Bateu uma tristeza, uma solidão! Não sabia para
onde ir, e o que fazer. Tentei divertir, não
conseguia esquecê-lo; tantos planos pela frente,
e ele foi desaparecer.
Saiu sem receio de me machucar, e levou tudo
que uma mulher tem, me deixou amargurada.
Sentia desespero, tentava controlar. Tanto amor
lhe dediquei, mas foi tudo em vão.
O silêncio falou por mim.

***Minha história, fato verídico. Apenas mudei
os nomes dos personagens. Ana Maria Gonçalves***

quinta-feira, 25 de junho de 2009

*AMORES VIRTUAIS. LIVRE-SE DAS EMBOSCADAS*


Já na primeira "teclada", ele a enche de elogios
e é capaz de dizer até que te ama. Assim começa
o flerte na sala de bate-papo. Num momento de
carência, a gente não pensa duas vezes e passa
a sonhar com esse príncipe encantado que está
do outro lado da telinha do computador. Mas
atenção. Todo cuidado é pouco na hora de marcar
o encontro e finalmente cair na real desta
relação!

Se o final desta história for engraçado, ótimo.
Você terá bons motivos para se divertir na roda
de amigas. O problema é se for trágico. Golpes
bancários e violência sexual têm sido comuns
neste primeiro encontro pós-internet. Portanto,
aprenda a administrar expectativas e ansiedade
para não ser a isca na rede dos "falsos" bons
partidos. A foto do MSN está desfocada? Ele
está sério e de óculos escuros?

Desconfie! Alguma coisa ele não quer revelar,
por outro lado, aproveite para conhecê-lo
melhor. Como quem não quer nada, especule
sua vida e veja se o gato não se contradiz.
Se tudo der certo, quem sabe quando conhecê-lo
não se apaixona, mesmo não sendo ele o homem
que você pediu a Deus!

"Amélia Alves, Editora-Chefe"
amelia@escala.com.br

quarta-feira, 24 de junho de 2009

*DUAS FASES*


LINS, 17 DE AGOSTO DE 2008

Roberto
A minha vida se dividiu em duas fases depois que
conheci você. Uma fase a.R. (antes de Roberto) e
d.R. (depois de Roberto). A fase a.R. era um
tempo em que eu vivia no meu canto, tranquila e
ingênua, ainda não desperta para a vida.
A segunda fase é o momento que desperto para o
amor e sexualidade, um mundo totalmente novo e
arrebatador.

Roberto, estou loucamente apaixonada por você.
Sei que você é o homem da minha vida, a quem
gostaria de dar tudo, sem restrições. Os outros
rapazes tornaram-se absoletos diante de você.
Você é o Sol da minha vida, que surgiu para
brilhar um novo caminho para mim.

Pode parecer que sou atrevida, ousada. Mas, quer
namorar comigo? Quer viver comigo um amor sem
barreiras ou preconceitos?
Daquela que se considera sua,

Liliane.

terça-feira, 23 de junho de 2009

*NÃO VIVO SEM VOCÊ*



SÃO PAULO, 13 DE ABRIL DE 2008

CARLOS
Depois de assistir ao "Em Nome do Amor", programa
televisivo, e após ter chorado muito com os lances
do programa, tomei a iniciativa de lhe escrever,
passando a limpo o meu coração.
Carlos, estou perdidamente apaixonada por você.
Não tenho mais dormido direito, comido direito,
pensado direito, porque você chegou e tomou conta
de todo o meu ser.
Já tentei lhe esquecer, mas as suas lembranças se
tornam mais vivas e cheguei a conclusão de que não
posso mais viver sem você.

Que devo fazer? Apenas você poderá me dizer. Ao
dizer sim, quero namorar com você, você estará me
tornando a mulher mais feliz do universo. Ao passo
que, a sua rejeição, não sei o que causará em mim.
Sinceramente não sei. Apenas sei que serei a mais
infeliz das mulheres, mas se vou cometer loucura,
isso eu não sei.
Eu te amo, Carlos, como nunca alguém amou você.
Quer namorar comigo?
Perdidamente enamorada,
Sandra.

www.edminuano.com.br

segunda-feira, 22 de junho de 2009

*JOANA E SUA VIDA ATRIBULADA*


Joana tem uma vida muito atribulada. Ela quer ser
pintora e, como leva isso a sério, gasta boa parte
do seu tempo livre pintando. Para se sustentar,
trabalha como designer. Tem muitos amigos que a
adoram, e milhares de interesses. Gosta de música,
dança muito bem, sabe velejar, esquiar, jogar
tênis, se interessa por política e pelo que está
acontecendo no mundo. No entanto, se você a visse
ao lado de um homem, não perceberia nada disso.


E sabe por quê? Porque Joana mantém a idéia
antiquada de que deve construir a sua vida ao
redor de um homem. Por uma série de razões
complicadas, Joana está presa ao mundo da sua
infância.
Embora se considere uma mulher moderna,
emocionalmente ela acredita que deve largar tudo
por um homem. E é assim que ela age. Se você
encontrá-la sozinha ou com algumas de suas amigas,
verá uma pessoa independente e dinâmica. Mas, se
encontrá-la com um homem, vai ver uma pessoa
dependente e retraída. Esse é o lado secreto de
Joana. Parece que, quando ela está com um homem,
o restante de sua vida passa a ser negociável
e dispensável.

Essa dicotomia em sua personalidade tem lhe
causado muitos problemas com os homens. Em geral,
eles se sentem atraídos pela moça comunicativa
e expansiva que conheceram. Gostam dela porque
parece ser muito extrovertida e criativa. Mas,
logo depois, ela se transforma numa pessoa
diferente e às vezes, sem entender por que,
esses mesmos homens perdem o interesse.

"A MULHER INTELIGENTE SABE QUE...
OS HOMENS DE QUALIDADE GOSTAM DE
MULHERES QUE PARECEM TER VIDA PRÓPRIA.
(Steven Carter e Julia Sokol)"

domingo, 21 de junho de 2009

*BETO VOLTOU PARA CASA*


Em 1993, Beto voltou para casa. Bebendo muito,
tornou-se um homem frio, calado, quando conversava
era só para me ofender. Não esqueço dos empurrões
que me deu. Minha filha Juliana, cansada de
presenciar as discussões; saiu numa noite para uma
festinha, e quando voltou estava embriagada, me
abraçou chorando e falou: "Mamãe, eu não tenho
estrutura para suportar o que está acontecendo
em casa".

Meu filho Júnior muito cedo saiu de casa para
trabalhar, nunca teve apoio do pai. O outro filho,
o Marcos, não suportando a infidelidade do pai,
sabendo que vivia comigo e com a amante, vendo
como ele me tratava, um dia me falou: "Mamãe,
eu ou meu meu pai fica nessa casa, não aceito o
que ele está fazendo, precisamos ser respeitados".
Acabou meu filho saindo de casa e foi morar com
meus pais.
Sofri muito, chorei amargamente.

***Minha História, fato verídico, apenas estou
mudando os nomes dos personagens.***
***Ana Maria Gonçalves***

sexta-feira, 19 de junho de 2009

*XIXI NA FAZENDA*


Um velho está num táxi, passando em frente
a uma linda fazenda, quando dá vontade de
fazer xixi. Ele pergunta:
- Meu bom taxista, você pode parar um
minutinho o carro para eu urinar?
- Sim, respondeu o taxista. O velho desceu
do carro e foi na entrada da linda fazenda.
Acabando, o velho entrou no carro e disse:
- Nada como fazer xixi no que é nosso!
O taxista perguntou:
- Aquela linda fazenda é sua?
- Não, a botina sim!

"Jornal DAQUI"

quinta-feira, 18 de junho de 2009

*IDOSO NO BANHEIRO*




O casal de idosos está dormindo quando o velho
acorda e vai ao banheiro. Quando ele abre a
porta a luz acende sozinha e quando ele fecha
a porta a luz se apaga sozinha. Ele acha
estranho, mas volta pra cama pra dormir.

No outro dia quando a velha acorda ele diz:
- Nossa, minha velha, você nem sabe o que
aconteceu ontem a noite! Quando abri a porta
do banheiro a luz se acendeu sozinha e quando
fechei ela se apagou. Não é um milagre?

- Que milagre que nada! Você deve ter feito
xixi na geladeira de novo!

"Jornal DAQUI"

quarta-feira, 17 de junho de 2009

*O DIA EM QUE O SOFÁ VIROU BATERIA*


_ Pai, toca a tum-tum-tá, tum-tum-tá.
Foi assim que Rafael Ribeiro, 3 anos, pediu a
seus pais para repetirem a música de que mais
gosta. Hoje, ele já sabe dizer o nome da canção,
We will rock you. E também sabe muito bem o nome
da banda que é dona da composição: Queen.
O Queen foi formado na Inglaterra, no início dos
anos 70, e existiu até 1991. Fez muito sucesso
no mundo todo e pode ser considerada uma das
mais importantes bandas de rock de todos os
tempos.

O que mais chama atenção na música do grupo é que,
apesar de tocar rock com baixo, guitarra e
bateria, o cantor Freddy Mercury tinha um jeito
próprio de interpretar, muito influenciado pela
música clássica e pela ópera.
Na casa dos pais de Rafael há muitos cd's e dvd's
de música, mas foi do Queen que o menino se tornou
um verdadeiro fã. Logo que começou a escutar o som
da banda, Rafael passou a acompanhar a batida no
sofá, como se ele fosse uma bateria.

Não teve jeito! Para evitar que a destruição do
móvel, o pai de Rafael decidiu comprar uma bateria.
Hoje, o menino tem aulas de música (a bateria está
nessa) e, mesmo pequeno, consegue fazer um
barulhão. O jeito vai ser reforçar as paredes da
casa, conta o pai, para que o som não incomoda
os vizinhos.
Rafael assiste os shows do Queen praticamente
todos os dias e adora os "solos de bateria",
qe repete sem cansar.

"Almanaque O POPULAR"

terça-feira, 16 de junho de 2009

*UM SUSTO, TRAIÇÃO*


(Em 1992). Desde o ano passado comecei a achar
o Beto diferente. Em 15 de setembro as 14:30,
estou no trabalho na minha sala, quando uma
criança chega e me entrega uma carta, que diz:

"Oi Mariana, estou te escrevendo estas poucas
linhas para te avisar uma coisa, porque tenho
muita dó de você, isso que vou te dizer não é
mentira, porque eu já via muito tempo, e queria
te escrever, mas eu não tinha certeza, agora eu
tenho; seu marido tem uma mulher, se você não
acredita, vai atrás dele, todos os dias eu vejo
ele passando para a casa dela.
É Divina, para ficar melhor para você, vou dar
algumas dicas onde ela mora, no Vilage Garavelo
H, em frente a antena da Rádio Caraíba.
Mariana, me desculpe por eu estar te avisando,
também não posso dar meu nome, porque é muito
perigoso, eu te conheço, mais você não me
conhece, e também quando ele vai para a fazenda,
ele também vai com ela."

Li a carta, me descontrolei um pouco, pensei
muito em que atitude tomar, fui relembrando do
nosso relacionamento péssimo; ele bebendo muito,
chegando tarde da noite, estúpido e grosseiro.

Só que a vida é uma armadilha, os 25 anos de
casados, em poucos minutos desmoronou.
Eu sempre dizia, que para haver uma separação,
teria que haver infidelidade; após essa tragédia
não esperei nada de bom. O meu coração foi
apunhalado.
"Prefiro a asfixia da realidade que o vento
brando da falsidade"

***MINHA HISTÓRIA, fato verídico, aconteceu
comigo. Ana Maria Gonçalves***

domingo, 14 de junho de 2009

*GAROTA PRODÍGIO*


Sensação aos 15 anos, Mallu Magalhães experimenta
o doce sabor do sucesso. A paulistana está no
olho de um furacão chamado hype. Há pouco mais de
um mês, a imprensa só fala sobre a adolescente
que, além de compor, faz esculturas de papel
machê, conserta instrumentos musicais e desenha
em seu ateliê. Após estourar no MySpace, site
de relacionamentos na Internet ( sua página
acumulou centenas de milhares de visitas em um
mês), sua rotina passou a incluir entrevistas,
reuniões com gravadoras, participações em
programas de TV, além de tarefas escolares.

"Quando você faz o que gosta, não sente obrigação.
Adoro correria. Para mim, música é o que há,
e é isso."

A oportunidade de tocar pela primeira vez em
público surgiu por acaso, em uma festa. Ela
consertou um violão quebrado e, em seguida,
foi convidada a tocar. Mallu se encaixou em
um nicho promissor: o anti-folk, mistura de
folk com outras vertentes musicais.
Ela canta melodias relaxantes, não usa
repertório e decide o que quer tocar na hora.
A festa de Mallu está só começando.

"Revista SELEÇÕES"

quarta-feira, 10 de junho de 2009

*ANIVERSÁRIO DE 15 ANOS*




No dia 14 de julho de 1992 foi aniversário de 15
anos da minha filha. Foi uma grande festa.
Com minha união matrimonial com Beto,
nasceram quatro meninos; mesmo com recomendações
médica, eu decidi arriscar outra gravidez, na
tentativa de vir uma menina. Nove meses
passaram, no dia 14 de julho de 1977, às 17hs,
na Maternidade S. Sebastião, em Vianópolis, Goiás,
nasceu através de uma cesariana, uma menina, sendo
acolhida pelo Dr. João Eudes, enfermeiras e
Comissão de Estagiários do Projeto Rondon. Minha
família ficou muito feliz.

A escolha do nome foi feito pelo tio Magno.
Marciene ao nascer, pesava 2.950g, com estatura
de 60cm.
Com um mês de idade foi seu batismo.
Com 2 anos cantava músicas e conseguia decorá-las.
Com 6 anos foi alfabetizada pela professora
Margarida.
Hoje, Marciene cresceu, está completando 15 anos,
é uma debutante. E neste crescer muita coisa vai
mudar; seus sentimentos e suas idéias.
É um momento belo e comovente.
Hoje, ela está rodeada de parentes e amigos que
a ajudará subir os 15 degraus de sua existência.
É mais um passo para a sociedade que a espera
de braços abertos com flores ou talvez
espinhos; mas, como é uma menina educada, meiga
e compreensiva, saberá seguir toda jornada
sem tropeçar.

Mesmo crescida, não deixará desaparecer o seu
lado ingênuo e infantil.

***Minha história verídica, Ana Maria Gonçalves***

terça-feira, 9 de junho de 2009

*O QUE OS OLHOS NÃO VÊEM, O CORAÇÃO NÃO SENTE*


Grande parte dos meus amigos está no Japão
trabalhando. A maioria formada nas melhores
faculdades não encontrou grandes perspectivas
profissionais no Brasil. Roberto é um deles.
Casados há quase duas décadas, ía sobrevivendo,
sempre deixando de pagar alguma conta no
final do mês.
Decidiu então ser um decassegui (Descendente
de japoneses que retorna ao Japão a trabalho).


A mulher ficou em Bauru, cuidando dos filhos,
triste e solitária, mas lembrando sempre que
aquilo era para o bem comum.
Dois longos anos se passaram. Eles conseguiram
dar uma boa entrada numa casa, em Bauru. O
carro da família foi trocado por um mais novo.
Parecia que a vida tomava um novo rumo.

Reiko estava quase feliz, lembrando sempre que
a separação era para o bem deles. Os filhos
tinham se ingressado na USP de Bauru. Então,
Reiko resolveu ir também trabalhar no Japão,
pois poderia ajudar o marido a conseguir
independência mais cedo.

Não contou nada a Roberto, iria lhe fazer
uma surpresa. Ao chegar na terra do sol
nascente, procurou o apartamento de Roberto.
Era domingo, talvez um dia de folga do
marido.

Uma mulher com uma criança no colo e seu
marido (dela mesmo) olhando-a com ares de
espanto, ao lado da porta aberta. Reiko
deduziu tudo: seu marido havia constituído
uma nova família.

A dor que era de saudade se transformou
numa outra dor, a dor de uma mulher traída,
enganada. Ao mesmo tempo uma dor desesperada.
Viu seu sonho se desfazer diante da
realidade. Talvez, se tivesse ficado no
Brasil, desconhecendo os fatos, continuaria
vivendo na doce ilusão.
O QUE OS OLHOS NÃO VÊEM O CORAÇÃO NÃO SENTE.

"Shiranu ga hotoque, Desconhecer é divino
pensamento faponês"

segunda-feira, 8 de junho de 2009

*NÃO VEJO MOTIVO*


Desde 1991, estou sentindo que o Beto está
diferente. Cobro sempre a presença dele, estou
sentindo que para ele o trabalho está em
primeiro lugar, deixando seu lar no segundo
plano. Tento falar, peço mais atenção, mas
sinto que foge, e não vejo motivo para tudo
isso.
Em setembro desse mesmo ano, foi casamento
do meu filho mais velho. Foi lindo, não
chorei, segurei as emoções.
Comecei a rotina. Muito trabalho, e em casa
quase não encontrando com o Beto. Sentindo
uma solidão imensa.

No dia 31 de outubro desse ano foi aniversário
do meu amor. Mandei uma carta apaixonada para
ele no trabalho.
No mes seguinte, novembro, foi casamento do
vice-prefeito, Francisco de Abreu com a jovem
Raquel. Fomos testemunhas na igreja evangélica.
Foi belo!
Escrevi esse acróstico pensando no Beto.

Bom demais, mas distante.
Esperar muito, receber pouco.
Tolerar sempre, constante.
Optar, aceitar ou ficar louca.

***Minha história. Fato verídico, mas hoje
superado. Ana Maria Gonçalves***

sábado, 6 de junho de 2009

*NINGUÉM NASCEU PARA FICAR SOZINHO*

mensagens lindas




O Sol, regente de 2009, beneficia a mulher.
Dizem os chineses que a mulher que casar no
ano do Boi (regente de 2009, pelo Horóscopo
Chinês) terá uma existência longa e feliz.

O que se sabe é que um homem não nasceu para
ser só; ele precisa se completar, porque a
sua metade é a mulher. É ela o talismã do
homem. Atrás de um grande homem está sempre
uma grande mulher.

Marcos, colega meu dos tempos estudantis,
tinha um projeto na vida: só se casaria
quando estivesse firmado na vida;
profissionalmente, socialmente e
materialmente.

Formou-se e durante anos seguiu a risca o
seu ideal. Todavia, se vencia numa parte,
faltava a outra parte. E alguns anos se
passaram. Foi então que conheceu Érica.
Paixão à primeira vista. Conheceu os pais
dela e ela, os seus. E o tempo foi passando.
E Érica foi ficando impaciente. E ele dizia
que faltava pouco; o pouco que nunca
chegava. Até que...ela perdeu a paciência:
- Ou você casa comigo ou terminamos AGORA!

Muito a contragosto, para não perder seu
grande amor, Marcos acabou se casando.
Aí a coisa se deslanchou: o seu projeto
de vida tinha se realizado. A mulher lhe
trouxera sorte. Hoje, Marcos e Érica
vivem felizes ao lado dos filhos.

Amar - a todos é dado. Basta viver.
Simplesmente. Mas amar e ser amado
é sina de pouca gente.

"www.edminuano.com.br"

sexta-feira, 5 de junho de 2009

*O VERDADEIRO AMOR*


Maria nasceu numa família pobre, porém nunca
lhe faltou o essencial. Cresceu livre com
seus sonhos e fantasias. Seus pais sempre
estiveram presentes, seja nas reuniões
escolares, ou todos os dias nas principais
refeições. Podia-se dizer que Maria era feliz.

Maria se tornou adolescente. Conheceu o
primeiro amor, puro, ardente e sincero. A sua
mãe era sua confidente, sua melhor amiga.
Um dia Maria conheceu um rapaz, rico,
muito rico. Ele, por sua vez encantou-se com
a simplicidade de Maria. Para lhe fazer
corte, mandou-lhe flores que encheram o
pequeno quarto de Maria. Depois, vieram
outros presentes, jóias caríssimas.

E, assim inebriada, Maria esqueceu o seu
primeiro grande amor. Casou-se com o rapaz
rico. Um casamento cheio de pompa. Os
primeiros tempos foram uma maravilha.
Porém, aos poucos Maria foi descobrindo
que dinheiro não era tudo. Veio o tédio.
Sentia-se presa numa gaiola de ouro.
Nada lhe faltava materialmente.

No entanto, sentia saudade da vida simples,
do seu primeiro amor. Algo a sufocava. A
realidade era outra. Então, Maria, voltou
para sua casa, deixando tudo para trás.

Atualmente, Maria está casada com o seu
primeiro amor; vive numa casinha com
seus dois rebentos, mas inteiramente
livre e feliz.
"www.edminuano.com.br"

quinta-feira, 4 de junho de 2009

*SAUDADES DO PAPAI*


A cada dia que passa sinto saudades do
papai. A coisa pior na vida é perder um
ente querido. Disso tenho certeza, ninguém
morre enquanto permanece vivo no coração
de alguém.
"Sabemos com efeito, que quando for destruída
esta tenda em que vivemos na terra, temos
no céu, uma morada eterna, que não foi feita
por mãos humanas". (2 Cor. 5,1).
Cada encontro da nossa família recordamos os
momentos que passamos com ele. Sua imagem
ficou gravada em cada irmão que entra e sai,
somos pedaços deste homem muito homem que
nos ensinou a amarmos, educando-nos muito
bem. Hoje só nos resta a lembrança; eu
sempre admirei sua coragem, honestidade,
bravura, esforço, trabalho, amor, sinceridade,
franqueza; ele era alegre, brincalhão, forte
e capaz de enfrentar todas as barreiras.

Espírito religioso e conservador. Pessoa
capaz de amar sem troca, perdoar quando fosse
preciso, sentia junto os problemas das
pessoas.
Os dias passaram e continuam passando, a cada
momento assusto, sinto um vazio muito grande.
SAUDADES!!!

***Minha história, fato verídico, Ana
Maria Gonçalves***

terça-feira, 2 de junho de 2009

*GESTO DE AMOR*


Li o artigo "DOE VIDA", (maio) e revivi os
momentos que passei com a morte de meu filho,
que sofreu um acidente de moto em junho de
2007. Quando soubemos que tinha sido decretada
a morte encefálica, minhas duas filhas e eu
fizemos o que sempre foi a vontade dele: doar
o que pudesse ser doado.
Depois, soube que o coração de meu filho havia
salvado a vida de um pai de família.
Nos conforta saber que algo dele ainda sobrevive
e, apesar da saudade, gostaria de chamar a
atenção para o fato de que a doação de órgãos
é muito importante e ninguém deve se omitir.
Doar órgãos é um gesto de amor!

"Laurete Lorenzon Vieira, por e-mail"